Início / Treino / Porque é que deves começar a fazer exercício?

Porque é que deves começar a fazer exercício?

O culto do corpo e a prática de exercício físico é, cada vez mais, uma prática comum e uma realidade um pouco por toda a parte.

Como já deves saber, o exercício é fundamental para manter a qualidade de vida e melhorar os níveis de aptidão física.

Para além destes dois fatores, existem muitos outros aspetos que irão melhorar assim que iniciares o exercício físico.

Entre os aspetos mais conhecidos estão os aspetos estéticos, dos quais fazem parte a perda de peso e o aumento da massa muscular.

No entanto, os benefícios associados ao exercício ultrapassam os benefícios estéticos.

Há outros efeitos associados à prática desportiva que influenciam diretamente a diminuição da probabilidade do aparecimento de doenças, os níveis de stress, a função cognitiva e a energia, por exemplo.

Neste artigo, vais poder ver, então, alguns dos benefícios mais “óbvios” e outros não tão “óbvios” da prática regular de exercício.

Fica atento!

Benefícios da prática de exercício físico

Melhora o sono e os níveis de energia

Sono

dormir

O sono é um processo fundamental na recuperação do organismo.

Durante o sono, o nosso corpo produz hormonas que podem ajudar a promover a recuperação dos nossos tecidos, como o tecido muscular, por exemplo.

É durante o repouso que o nosso corpo recupera e se reconstrói.

Durante a prática de exercício físico, ocorre destruição das fibras musculares.

No pós-treino, o tecido muscular regenera-se, dando lugar à construção muscular.

Por isso, o sono é fundamental para todas as pessoas no geral, e para os atletas em particular.

O exercício ajuda o nosso organismo a entrar em “sono profundo” mais facilmente e é apontado como uma ferramenta que influencia a qualidade de sono:

“Os estudos que foram realizados sugerem que o exercício melhora significativamente o sono de pessoas com insónia crónica.”

Indiretamente, a privação de sono pode ser causada por hábitos sedentários que, posteriormente, poderão originar outros problemas para a saúde.

Portanto, o sono pode melhorar o rendimento desportivo, como também a prática de exercício pode melhorar a qualidade do sono.

Tem em atenção que exercícios demasiado intensos podem interferir com os padrões de sono.

Energia

Por outro lado, a prática de exercício físico pode aumentar os níveis de energia.

Parece contraditório, pois ao praticarmos exercício físico é provável que fiquemos cansados, mas, evidências sugerem que, o exercício físico aumenta os níveis de energia e reduz a fadiga.

Num estudo publicado no Psychological Bulletin, foram analisados vários estudos que envolviam quase 7000 pessoas.

De acordo com Patrick O’Connor:

“Mais de 90% dos estudos mostraram a mesma coisa: Pessoas sedentárias que completaram programas de exercício regular mostraram uma diminuição da fadiga em relação aos grupos de pessoas que não fizeram exercício.”

Portanto, se procuras aumentar os teus níveis de energia, melhorar a qualidade do sono e, por consequência, a tua performance atlética, o exercício pode ser uma boa opção!

Ajuda a controlar o peso

pesar

O exercício físico tem influência direta sobre a perda e manutenção de peso.

Sabe-se que para haver perda de peso, é necessário haver um dispêndio energético superior à ingestão calórica (calorias gastas > calorias consumidas).

Diversos estudos revelam que o excesso de peso e a explicação para problemas como a obesidade, se deve mais à falta de dispêndio energético do que ao grande consumo de alimentos:

“(…) evidências sugerem que grande parte da obesidade é mais devida ao baixo gasto energético que ao alto consumo de comida, enquanto a inatividade física da vida moderna parece ser o maior fator etiológico do crescimento dessa doença nas sociedades industrializadas.”

Portanto, como o exercício físico ajuda a aumentar o dispêndio energético, o exercício pode ser eficaz no combate a problemas de excesso de peso, como a obesidade, e na manutenção de resultados positivos.

Fortalece o coração e ajuda a controlar a pressão arterial

saúde cardiovascular

O coração e a pressão arterial estão diretamente ligados.

A saúde do coração e os níveis de pressão arterial, entre outras coisas, podem ser influenciados pela quantidade de atividade física que fazemos.

Níveis anormais de pressão arterial podem originar problemas cardíacos.

A pressão alta pode danificar as artérias e, desta forma, afetar a capacidade de o coração bombear sangue de forma normal e impedir que este distribua oxigénio e nutrientes para o resto do corpo de forma eficaz, algo que afetará o normal funcionamento de todo o corpo.

Estudos indicam que, indivíduos que treinam regularmente, têm menores níveis de pressão arterial em repouso e que a prática de exercício pode ajudar a prevenir o aumento da pressão arterial.

Estes resultados podem ser explicados pela maior oxidação de gordura (excesso de gordura pode potenciar o estreitamento das artérias) e pela vasodilatação (dilatação das artérias – algo que permite uma melhor circulação sanguínea) inerentes ao exercício.

Portanto, provavelmente, quanto mais sedentários formos, maiores serão os níveis de pressão arterial.

Em relação ao coração, existe um efeito ainda mais óbvio do exercício físico na sua saúde.

Da mesma forma que a atividade física ajuda a exercitar os músculos das pernas, dos braços, dos ombros, etc., ela também ajuda a exercitar o músculo cardíaco, aumentando a sua resistência e tornando o seu funcionamento mais eficiente.

Por que não começares por seguir algumas das indicações da American Heart Association?

“Para melhorar a saúde cardiovascular em geral, sugerimos, pelo menos, 150 minutos por semana de exercício moderado ou 75 minutos por semana de exercício vigoroso (ou uma combinação de atividade moderada ou vigorosa). Trinta minutos por dia, cinco vezes por semana, é um objetivo fácil de interiorizar.”

Potencia melhorias a nível emocional e cognitivo e promove a redução do stress

pessoa feliz

Alguns estudos têm apontado resultados positivos entre o exercício e a melhoria das funções cognitivas, destacando que as pessoas ativas são menos suscetíveis a terem disfunções mentais quando comparadas com pessoas sedentárias, verificando-se resultados positivos em pessoas com mais idade.

Principalmente em indivíduos mais velhos, a perda de autonomia pode levar a perturbações mentais e diminuição da autoestima.

O exercício físico, por melhorar estes níveis, apresenta-se como uma solução válida para todas as pessoas que tenham baixa autoestima, pois dota os praticantes de ferramentas para resolução de problemas de forma autónoma, podendo influenciar também o aumento dos níveis de confiança.

Pode ainda referir-se que o exercício promove a produção de hormonas e de neurotransmissores que nos fazem sentir bem (como as endorfinas e a serotonina), algo que influencia diretamente o nosso estado emocional e cognitivo.

E ainda, o exercício físico  ajuda a reduzir o stress, uma realidade que pode afetar tanto a nossa performance física como mental.

Investigações em humanos e animais indicam que ser fisicamente ativo melhora a forma como o corpo lida com o stress, devido a alterações nas respostas hormonais e que o exercício afeta os neurotransmissores no cérebro como a dopamina e a serotonina que afetam o humor e o comportamento.”

Influência estética

exercício e estética

Também e muitas vezes aliado à questão da autoestima, aparece a questão estética.

O exercício, por si só, é um processo catabólico ou seja, promove a destruição celular.

No entanto, é sinalizador da hipertrofia, estimula os músculos a adaptarem-se e a evoluir.

A prática de exercício de forma regular quando conjugada com uma alimentação adequada, melhora os níveis de massa magra, reduz os níveis de massa gorda, aumenta o tónus muscular e melhora a postura.

Estes benefícios são normalmente os mais destacados pelas pessoas que iniciam a prática desportiva.

No entanto, para que isto aconteça é necessário que os processos internos mencionados anteriormente aconteçam.

A prática de exercício físico e os seus benefícios: em conclusão

Estes são alguns dos benefícios da prática regular de exercício.

É importante referir que existe uma dose ideal para a maioria destes resultados, sendo necessário ressalvar que intensidade e volume extremos, poderão ter efeitos adversos.

Com todos os benefícios acima descritos e na impossibilidade e enumerá-los a todos, é justo dizer que o “medicamento” mais eficaz e com maior espectro de mercado é o exercício físico e que este deveria ser tomado pela população em geral.

Comments

A informação contida neste artigo diz exclusivamente respeito à opinião do autor.

Acerca de Tiago Sousa

Tiago Sousa
Tiago Sousa é licenciado em Educação Física e Desporto, Personal Trainer e Crossfit L1 Trainer. É ex-nadador de competição e tem a sua empresa de treino outdoor. Tem como objetivo trazer mais ciência à sua área ajudando, assim, as pessoas a atingir os seus objetivos de forma segura.

Ver também...

strength training

Treino para aumentar força: o que saber antes de começares

O treino de força tem vindo a ganhar cada vez mais visibilidade e adeptos e, ...

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *