Início / Nutrição / A verdade sobre a dieta paleo: o que deves saber!

A verdade sobre a dieta paleo: o que deves saber!

Dieta paleo exemplos -zumub

Todos nós ouvimos falar regularmente de dietas. A verdade é que existe uma grande variedade e torna-se difícil escolher a melhor.

Para sabermos qual é a melhor opção para cada um de nós, temos que conhecer o nosso corpo, saber quais são os nossos objetivos e, acima de tudo, qual é o tipo de alimentação de que mais gostamos para tentarmos fazer a melhor escolha

Uma das dietas mais populares e da qual se tem ouvido falar mais nos últimos tempos é a dieta paleo.

Sabes o que é? Já pensaste nesta opção? Neste artigo vais ficar a saber o que é a dieta Paleo, como surgiu e quais são os seus benefícios para a saúde.

Descobre se esta é a melhor opção para ti!

O que é a dieta paleo?

homem do paleolítico-zumub

A dieta paleo ou dieta paleolítica caracteriza-se, principalmente, pela ausência de alimentos introduzidos a partir da revolução agrícola (ou revolução neolítica), há aproximadamente 9.000 anos.

É uma dieta baseada na ausência de:

  • Cereais
  • Laticínios
  • Leguminosas
  • Azeites vegetais refinados
  • Açúcares
  • Alimentos processados que aparecem depois da revolução industrial

Durante o paleolítico, os homens alimentavam-se, sobretudo, daquilo que a terra lhes dava de forma natural.

É permitido o consumo de:

  • Vegetais
  • Tubérculos
  • Fruta
  • Frutos secos
  • Ovos
  • Peixe
  • Carne
  • Marisco
  • Óleos

Atenção! Não está baseada numa proporção de macronutrientes porque quando foram estudadas diferentes populações tradicionais, estas não tinham a mesma relação de macronutrientes, eram muito variadas.

Curiosidade! As diferenças entre os corpos da época do paleolítico e os de agora são evidentes. Atualmente, existe uma grande parte da população que está acima do seu peso saudável. É importante inverter esta tendência.

Quem sabe se a dieta paleo não pode ser o melhor caminho?

Quem criou esta filosofia?

Loren Cordain

Esta filosofia foi criada e difundida pelo Dr. Loren Cordain. Durante toda a sua vida investigou e compilou um grande número de argumentos científicos

Nesta entrevista, Loren Cordain explica o princípio por detrás desta filosofia:

“O conceito no século XXI é tentar imitar ou seguir as características nutricionais dos alimentos que os nossos antepassados comiam. Comiam plantas selvagens, frutas frescas, vegetais, animais selvagens, carnes, marisco, ovos, o que obtinham do seu ambiente. Não comiam grãos. Não comiam alimentos processados, açúcares processados, azeites vegetais processados, ou qualquer um dos alimentos que comprometem cerca de 70% das calorias da dieta típica dos Estados Unidos.”

Esta afirmação, embora esteja direcionada para a dieta típica dos Estados Unidos, pode ser extensível a outros países.

Esta dieta, assente numa filosofía de quase “regresso às origens”, tenta provar que o homem não precisa de alimentos processados, artificiais ou pouco saudáveis para sobreviver.

O seu objetivo é, acima de tudo, melhorar a qualidade de vida das pessoas, ajudando a melhorar a sua saúde e bem-estar geral. Além disso, ela também é usada para a perda de peso e ganhos de massa muscular, já que é uma forma de evitar hábitos pouco saudáveis.

Atenção! Há alguns alimentos proibidos nesta opção que não são assim tão prejudiciais para a nossa saúde, como as leguminosas.  

Principais benefícios

Lista-Zumub

Melhora a nossa nutrição e saúde

A ingestão de carnes, peixe, frutas, verduras e sementes, proporciona-nos todos os nutrientes que necessitamos para ter uma vida saudável.

Consumiremos:

  • Carboidratos (principalmente através do consumo de frutas e vegetais)
  • Vitaminas (maioritariamente através do consumo de frutas e vegetais)
  • Proteínas (principalmente através do peixe, carne, ovos e marisco)
  • Gorduras (provenientes das proteínas, das sementes e dos frutos secos)

O consumo de gorduras melhora o estado das nossas artérias e da nossa pele, bem como o funcionamento do nosso cérebro.

Comida natural

A dieta paleolítica é constituída unicamente por alimentos não processados. Isto evita que consumamos conservantes, corantes e todo o tipo de sabores artificiais. Desta forma, comeremos muito menos toxinas.

Perda de peso

Estudos demonstram que esta dieta pode ajudar a emagrecer. A redução do consumo de alguns tipos de carboidratos (e, por consequência, a diminuição da glicose no sangue), de comidas processadas e de açúcares artificiais, pode ajudar a diminuir a probabilidade de acumulação de gordura.

O consumo de proteína e de fibra que esta dieta incentiva ajuda a saciar, o que vai fazer com que haja uma redução do apetite.

A dieta paleolítica complementada com atividade física acelera o metabolismo, ajudando a queimar mais calorias, e pode ajudar a aumentar a massa muscular, principalmente por ser uma dieta em que a proteína é um dos seus elementos principais.

Efeito anti-inflamatório

O efeito anti-inflamatório de alguns alimentos típicos desta dieta vão ajudar-te a reforçar o sistema imunitário.

Além disso, ela ajuda a melhorar a flora intestinal, possibilitando, deste modo, uma correta digestão.

Melhora o humor

Os alimentos ricos em proteínas e gorduras saciam o nosso apetite. Isto faz com que não tenhamos uma sensação de fome constante e evita alterações repentinas de humor.

Quem pode seguir esta dieta?

preparar uma receita-zumub

Todos aqueles que queiram cuidar da sua alimentação e pensem que uma dieta como a dos nossos antepassados é a mais correta, já que a industria alimentar inventou muitos alimentos que não podem ser considerados como tal.

Existem muitos famosos, desde atletas, cantores ou atores, que seguem esta dieta. É também muito popular entre atletas de CrossFit.

Para descobrires mais sobre esta modalidade, podes ver o artigo do blog com tudo o que deves saber sobre o CrossFit.

Uma coisa muito importante é que também devemos ter em conta que a dieta paleolítica não é aplicável a toda a gente, uma vez que cada pessoa é diferente e tem objetivos distintos.

Por exemplo: a um ciclista de competição não convém ter uma dieta alta em fibra e com pouca percentagem de hidratos de carbono já que, assim, terá pouca energia para enfrentar corridas longas.

Esta é uma das principais limitações desta dieta. Dificulta a manutenção de ótimos níveis energéticos, dificultando tanto o rendimento durante o exercício, como a recuperação pós-exercício, pois grande parte dos hidratos de carbono permitidos nesta dieta apresentam um baixo índice glicémico.

Ou, por exemplo, a uma pessoa que tenha tendência para ter níveis elevados de ácido úrico, esta dieta pode prejudicá-la, uma vez que as carnes, mariscos e peixe têm uma grande quantidade de ácido úrico.

Em conclusão

Grande parte das propostas paleolíticas são bastante mais recomendáveis do que as dietas nas quais incluímos produtos atuais pouco saudáveis.

De facto, reconheço que o nosso atual padrão de consumo alimentar tem um excesso de produtos pouco saudáveis, processados, ricos em gorduras saturadas e trans, com açúcares adicionados, pobres em fibra, refinados, ricos em sódio… e isso compromete a nossa saúde.

No entanto, reconhecer que a forma como comemos não é a mais adequada e que são precisas alternativas como a dieta paleo, é um bom sinal.

Descobre quais são os melhores suplementos para a dieta paleo num próximo artigo sobre o tema!

Se tiveres alguma dúvida não hesites em deixar um comentário.

Comments

A informação contida neste artigo diz exclusivamente respeito à opinião do autor.

Acerca de Pedro Giner

Pedro Giner
Pedro é graduado em Nutrição Geral e Nutrição Desportiva. Trabalha diariamente para melhorar a saúde e o nível de fitness de quem o procura. E é isso que ele tenta fazer com cada palavra que escreve, inspirar e guiar os outros a adotarem um estilo de vida mais saudável.

Ver também...

Zumub oat flakes

7 receitas doces e salgadas com flocos de aveia

Os flocos de aveia são um cereal e resultam do esmagamento dos grãos de aveia ...

One comment

  1. Gostaria de saber mais sobre a dieta paleo e ter algumas breceitas

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *